sexta-feira, 20 de julho de 2012

Yannis Ritsos (III)

Assassinos Fictícios

Esta mulher – nem sequer sei como se chama – Catarina? Eurídice?
Agride-me roça a faca pelo meu pescoço
Sei que é uma faca de papel
Finjo estar morto entreabro os olhos
Vejo melhor assim
De noite levanto-me vou à loja do ferreiro com as suas ratazanas
Acendo a fogueira atiço-a com os grandes foles da igreja
Preparo as quatro ferraduras o cálice fundo
Afio a grande faca de dois gumes e entrego-lha
Pela mão secretamente voluptuosamente por baixo da almofada
 

Atenas,  4-5-71

Yannis Ritsos
- trad. minha a partir da versão em inglês de Manolis

Sem comentários: