terça-feira, 12 de maio de 2020

São João dos Montes, 12/11/2013

Brincava fantasiando brinquedos. Era uma criança feliz, entregue à efabulação de parricídios e ao incesto da imaginação. Creio que era uma criança feliz. Dentro da casa, vigiávamos impávidos a hora silenciosa. Era então a paz como uma sagração.

Sem comentários: