sábado, 2 de junho de 2012

10 teses sobre a mistificação das potencialidades redentoras da poesia

1) A poesia não actua sobre o homem; ele é que actua por ela.

2) O poema não acrescenta o homem; o homem é que deixa alguma coisa no poema.

3) A poesia não redime; ela manifesta a necessidade de redenção. 

4) O poema é sintoma, não lenitivo.

5) O poema é a tendência para materialização de uma privação, o lugar de uma privação.

6) O poema não substitui o que, por ser ausente, é a causa da privação.

7) O poema ocupa o lugar da privação, mas não anula a privação.

8) O poema não é Deus; o poema é o lugar da ausência de Deus.

9) A poesia apela à redenção, é chamamento, não resposta.

10) A poesia quer estar próxima da redenção; não o querer seria estar mais longe.