quinta-feira, 28 de julho de 2011

Arthur Rimbaud (I)

Sensation

Par les soirs bleus d'été, j'irai dans les sentiers,
Picoté par les blés, fouler l'herbe menue :
Rêveur, j'en sentirai la fraîcheur à mes pieds.
Je laisserai le vent baigner ma tête nue.

Je ne parlerai pas, je ne penserai rien :
Mais l'amour infini me montera dans l'âme,
Et j'irai loin, bien loin, comme un bohémien,
Par la nature, heureux comme avec une femme.

Arthur Rimbaud, Mars 1870.


*

Sensação

Pelos caminhos irei nas tardes azuis do verão,
Pisando a erva amena, ferindo-me no trigo:
Sonhador, meus pés sentirão a frescura em que vão.
Deixarei o vento embeber a minha fronte nua.

Nenhuma palavra, nenhum pensamento:
Um amor infinito ascenderá à minha alma,
E então irei longe, muito longe, como um cigano
Pela natureza, feliz como na companhia de uma mulher.


Arthur Rimbaud, Março 1870.
- tradução minha

Sem comentários: