sexta-feira, 20 de maio de 2011

XXVI

Batam-me pelo meio com o sangue:
às formas que se abrem.
Filho probo – menstruado com a boca.
Anda uma possibilidade com a articulação ao contrário.
A minha vontade de poder é instituída por uma lei
de uma inconstância terrível.
Este é o teorema da desregulação.
Eu ouço cantar por baixo da pilhagem
com as bocas menstruais:
são as formas da probidade.
Batam-me até eu ser o apostema da derivação.
Ou posso bater um mundo como procedimento sumário.
Nado vivo morto da orfandade.
E ainda me crio onde abandonei a carnagem.


de Miasmas, Cosmorama, 2010.

Sem comentários: