sábado, 29 de janeiro de 2011

Antonio Gamoneda (III)

Arranca-te a luz do olhar.
Os anjos do bem estão submersos.
Desejos de nuvens e de ninhos
são a cinza da madrugada.

Arranca-te a luz, que chegou
a hora dos céus baixos,
e rasga os teus lábios acesos,
que em baixo está a terra apaixonada.

Está em baixo a terra e, por metais,
lentos barcos de amor, esvaziam-se os mortos
e não choram: cantam, horizontais.

É a boca de Deus. Tremida,
na velha paixão dos desertos,
chama, em baixo, quente, pela tua vida.


Antonio Gamoneda, La tierra e los labios, 1947-53.
- tradução minha -

Sem comentários: