terça-feira, 18 de janeiro de 2011

António Carneiro, Ecce Homo, 1901.

Não, não é o remorso que me leva assim humilhado, nem tão-pouco foram os fados que me inculcaram este ardor. Os deuses não se interessam por mim, e o remorso não morde a quem não fede moral. Não, não é despudor nem ignomínia o que me leva assim oprimido, nem eu sou responsável por infâmia ou devassa. Não, não sou culpado: – afasto-me para que me amem.

Sem comentários: