sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Perseu


Perseu segurando a cabeça de Medusa
Benvenuto Cellini [1500 - 1571]


Perseu simboliza a força da visão oblíqua, do olhar que vê sem ser visto, do jogo de espelhos e circunvalações em direcção a uma prespectiva arrebatada de profundidade e lubricidade. Para aceder ao âmago é preciso desviar o olhar do olhar que nos petrefica, é preciso ver de outra maneira: cegar. Olhar de frente confronta, mas não desnuda. A realidade não se abre a quem a não acaricie com a ponta de uma adaga. É porque a realidade não se revela imediatamente que quem a confronta à luz do dia se desilude com ela: poética da desilusão, da fraqueza e da conformação: reacionarismo.

Sem comentários: